Candidatura de Alair Corrêa foi indeferida e ex-prefeito diz que reverterá este fato rapidamente

"Resolveremos o processo nas próximas horas", diz Alair após ter candidatura indeferida e em nota atacou adversários, que subiram o tom contra ele

22/09/2018 - O ex-prefeito de Cabo Frio e candidato a deputado estadual Alair Corrêa (PRP) afirmou, que irá "resolver nas próximas horas" o processo em que teve a candidatura barrada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ). Por meio de nota publicada no Facebook e enviada à imprensa ele disse que "meus advogados já haviam me alertado ao decidir apoiar Garotinho, informando que poderia ter problemas" (veja abaixo a nota na íntegra).

Alair colocou a culpa pelo indeferimento de sua candidatura no deputado estadual Janio Mendes (PDT), no vereador cabofriense Rafael Peçanha (PDT) e no Ministério Público (MPRJ).

"Esse pedido de impugnação foi feito pelo Janio Mendes, Rafael Peçanha e o Ministério Público, e peço a todos que fiquem tranquilos pois a denúncia dos dois políticos não prosperará, porque esses processos que utilizaram estão suspensos", disse Alair Corrêa.

Para o candidato, o pedido de impugnação de sua candidatura seria uma retaliação, pois, na versão dele, "foi Garotinho quem denunciou os amigos de Jânio Mendes, Sérgio Cabral, Picciani e Paulo Mello, já os delatores dos três, delataram dezenas de deputados dentre eles Jânio Mendes do PDT, que encabeça duas listas, uma por ter recebido propina da Lava Jato e outra por ter recebido da Fetranspor".

O deputado Janio Mendes, também candidato à reeleição, rechaça as acusações. Ele afirma que não fez nenhuma representação contra a candidatura de Alair, e aproveitou para alfinetar o adversário.

"Não fiz nenhum pedido de impugnação da candidatura do Alair. Na verdade, Alair cavou sua própria condenação na gestão desastrosa que fez", disse Janio.

Sobre a acusação feita por Alair de integrar listas de recebimento de propina, Janio negou mais uma vez.

"Não estou em lista da Lava Jato nem da Fetranspor. Sou ficha limpa, tenho vida limpa e isso incomoda muito o Alair", sentenciou.

O vereador Rafael Peçanha, por sua vez, disse que "não é de hoje que Alair tenta colocar nos outros a culpa que é dele mesmo". Ele confirmou que entrou com uma "notícia de inelegibilidade" contra Alair no MP, mas ressaltou que partiu do Ministério Público o pedido de impugnação da candidatura.

"Alair está impugnado por causa da política tosca, violenta, desrespeitosa e agressiva que ele praticou em seu mandato como prefeito. Entrei com uma notícia de inelegibilidade contra ele no MP por causa dos diversos processos que ele responde, e que o deixam impedido de concorrer pela Lei da Ficha Limpa. Fiz isso porque, como vereador, tenho a missão de fiscalizar e é isso que estou fazendo. Mas ele sabe muito bem que o pedido de impugnação foi feito pelo Ministério Público", disse Rafael.

Para condenar Alair, a Corte Eleitoral fluminense acatou as alegações do Ministério Público Eleitoral, que pediu a inelegibilidade baseado em irregularidades nas contas durante o seu mandato, entre 2001 e 2004, e ato doloso de improbidade administrativa. Na ocasião, segundo o MP, foram pagos indevidamente mais de R$ 1,2 milhão a agentes públicos e comissionados. O pedido de impugnação foi embasado por seis processos judiciais contra o ex-prefeito. Ainda cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.

Veja a nota de Alair na íntegra:
"Desejo comunicar aos eleitores e amigos que minha candidatura continua bem firme. Vamos disputar e ganhar mais essa eleicão. Esse pedido de impugnação foi feito pelo Jânio Mendes, Rafael Peçanha e o Ministério Público, e peço a todos que fiquem tranquilos pois a denúncia dos dois políticos não prosperará, porque esses processos que utilizaram estão suspensos. Outros políticos fizeram o mesmo com Garotinho, que perdeu no TRE, mas resolveu no TSE, assim também resolveremos o nosso processo nas próximas horas. Bem antes da eleição meus advogados já haviam me alertado ao decidir apoiar Garotinho, informando que poderia ter problemas. Foi Garotinho quem denunciou os amigos de Jânio Mendes, Sérgio Cabral, Picciane e Paulo Mello, já os delatores dos três, delataram dezenas de deputados dentre eles Jânio Mendes do PDT, que encabeça duas listas, uma por ter recebido propina da Lava Jato e outra por ter recebido da Fetransporte. Se agisse pequeno como os dois, poderia ter pedido sua impugnação, mas não costumo agir assim! Aproveito finalmente para tranquilizar a todos os amigos e eleitores, informando que nossa campanha continua firme. Nas próximas horas tudo estará resolvido. Já enfrentei esse tipo de situação, aprendo com ela e me fortaleço, se Deus quiser será mais um problema resolvido. A campanha continua, vamos para a vitória”.