Bolsonaro ampliará lista de essenciais: 'Já que eles não querem abrir'

O presidente é crítico a restrições ao trabalho e comércio durante a pandemia

11/05/2020 - O presidente Jair Bolsonaro disse, no domingo (10/5), que vai ampliar o rol de atividades essenciais durante a pandemia da covid-19, ou seja, autorizadas a funcionar a despeito das medidas de distanciamento social.

"Amanhã (hoje) devo botar mais algumas profissões como essenciais. Vou abrir, já que eles não querem abrir, a gente vai abrindo aí", afirmou Bolsonaro a apoiadores, em frente ao Palácio da Alvorada.

Na quinta-feira (7/5), Bolsonaro decretou que as atividades industriais e a construção civil também são essenciais em meio ao avanço do novo coronavírus. O presidente é crítico a restrições ao trabalho e comércio durante a pandemia.

A medida foi adotada no mesmo dia em que Bolsonaro, acompanhado de um grupo de empresários e ministros, foi ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedir que medidas restritivas nos Estados sejam amenizadas.

Além da construção civil e de atividades industriais, o governo já tinha classificado como essenciais diversas atividades, como indústrias químicas e petroquímicas de matérias primas ou produtos de saúde, higiene, alimentos e bebidas e produção, transporte, entre outras. Ao serem classificados como essenciais, as atividades e serviços podem continuar em operação mesmo na quarentena.