Com aumento de casos, saiba como evitar a conjuntivite

No verão, uma das doenças que têm aumento no número de casos é a conjuntivite, infecção que aparece na conjuntiva, a membrana que recobre o globo ocular (a parte branca da vista) e o interior dos olhos. O aumento das temperaturas facilita a circulação do vírus, que é o causador mais comum da doença. A conjuntivite pode ser causada também, por reações alérgicas a poluentes ou substâncias irritantes (fumaça, cloro de piscinas, produtos de limpeza ou de maquiagem, etc), ou por bactérias.

A Secretaria de Saúde de Cabo Frio alerta que as conjuntivites virais e bacterianas são contagiosas, podendo ser transmitida pelo contato direto com as mãos, com a secreção que sai dos olhos, ou com objetos contaminados. Normalmente depois do Carnaval começa uma procura mais intensa às unidades de saúde por causa da conjuntivite, sem haver, no entanto, uma estatística precisa no número destes casos.

Os sintomas de conjuntivite são olhos vermelhos e lacrimejantes; pálpebras inchadas; sensação de areia ou de ciscos nos olhos; secreção purulenta (em caso de conjuntivite bacteriana) ou esbranquiçada (na conjuntivite viral); coceira; fotofobia (dor ao olhar para a luz); visão borrada e pálpebras grudadas quando a pessoa acorda.

Segundo a médica Lucy Pires, superintendente municipal de Vigilância em Saúde de Cabo Frio, cuidados especiais com a higiene ajudam a controlar o contágio e a evolução da doença. Qualquer que seja o caso, porém, é fundamental lavar os olhos e fazer compressas com água gelada, que deve ser filtrada e fervida, ou com soro fisiológico comprado em farmácias ou distribuído nos postos de saúde.

"O mais importante são as medidas de higiene. Manter as mãos e o rosto sempre limpos e não coçar os olhos. As compressas ajudam a diminuir o incômodo nos olhos”, explicou a médica, lembrando que, ao contrário do que muita gente acredita, o uso de óculos escuros não impede a transmissão do vírus.

O tratamento da conjuntivite é determinado pelo agente causador da doença. Para a conjuntivite viral não existem medicamentos específicos. Já o tratamento da conjuntivite bacteriana inclui a indicação de colírios antibióticos, que devem ser prescritos por um médico, pois, Lucy Pires, alguns colírios são altamente contraindicados, já que podem provocar sérias complicações e agravar o quadro do paciente. Para prevenir o contágio, a médica da Secretaria de Saúde de Cabo Frio dá algumas dicas:

- Evitar aglomerações ou freqüentar piscinas de academias ou clubes;
- lavar com freqüência o rosto e as mãos, uma vez que estes são veículos importantes para a transmissão de micro-organismos patogênicos;
- não coçar os olhos;
- usar toalhas de papel para enxugar o rosto e as mãos, ou lavar todos os dias as toalhas de tecido;
- trocar as fronhas dos travesseiros diariamente, enquanto perdurar a crise;
- não compartilhar o uso de esponjas, rímel, delineadores ou de qualquer outro produto de beleza;
- não se automedicar

 


Pesquisa interna