Banco Central quer permitir conta em dólar no Brasil e em reais no exterior

Objetivo é facilitar rotina de exportadores e importadores. Permissão poderá ser estendida a pessoas físicas no longo prazo

O Banco Central quer permitir a abertura de contas em dólares no Brasil. Segundo o diretor de regulação da autarquia, Otávio Damaso, as regras que hoje regem o câmbio no país estão defasadas, já que foram estabelecidas entre 1920 e 1950 - e isso dificulta a vida de quem depende de exportações e importações. Num segundo momento, pessoas físicas também teriam permissão para abrir contas em moeda americana. No sentido inverso, o BC também quer permitir contas em reais no exterior, na medida em que outros países demonstrem interesse.

— O arcabouço legal que temos hoje para o câmbio não facilita vida do produtor, da indústria, do comércio, de quem investe no país. Empresas grandes, que vivem de exportações, e que durante o ano fazem inúmeras operações de câmbio para mandar produtos pro exterior, são submetidas a conjunto de burocracias que cria um custo Brasil — afirmou Otávio Damaso.

Os maiores beneficiados serão empresas pequenas, que hoje gastam tempo e dinheiro para cumprir o processo burocrático para pagar e receber nas operações com o exterior. Essa é uma demanda interna e também de diversos outros países, especialmente os vizinhos. A pauta depende de aprovação do Congresso Nacional.

— Queremos ter uma moeda conversível em dois ou três anos. Tenho apostado numa agenda constante de comunicação com o Congresso, com o presidente Rodrigo Maia, temos cafés recorrentes com senadores e deputados. É uma agenda amigável — diz Roberto Campos Neto, o presidente do BC.