Imóveis da Prefeitura de Cabo Frio têm energia elétrica cortada por falta de pagamento

Enel informou que só tomou a decisão de cortar o fornecimento após tentar negociar o débito em diversas ocasiões.

Cinco imóveis da Prefeitura de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, tiveram o fornecimento de energia elétrica cortado pela concessionária Enel nesta segunda-feira (27).

Segundo a Enel, o corte foi feito por conta de atrasos no pagamento do serviço. Ainda de acordo com a empresa, os débitos da Prefeitura ficam em cerca de R$ 14 milhões e incluem pagamentos pendentes desde 2017.

As unidades foram o Estádio Correão, o Teatro Municipal, a Fiscalização de Posturas, o Ginásio Poliesportivo Alfredo Barreto e a Associação dos Pescadores da Gamboa.

De acordo com a Enel, a empresa só tomou a decisão de cortar o fornecimento após tentar negociar o débito em diversas ocasiões.

A Enel informou que em janeiro deste ano já havia realizado a suspensão do fornecimento de unidades da Prefeitura por falta de pagamento. Segundo a concessionária, o município quitou parte da dívida na época e negociou os débitos.

"Apesar do acordo e o parcelamento da dívida, a Prefeitura parou novamente de pagar as faturas devidas em 2019, incluindo o parcelamento da dívida anterior," disse a concessionária.

A Prefeitura informou que enviou um memorando para repartições municipais na manhã desta quarta (29) com o objetivo de reduzir gastos na energia elétrica.

No memorando, a Prefeitura determina o desligamento de lâmpadas em todas as dependências onde exista iluminação natural para realização das atividades, evitando sempre que possível os trabalhos noturnos.

"Além disso, lâmpadas e aparelhos elétricos devem ser desligados após o encerramento do expediente, permanecendo ligados somente o que for essencial. Por fim, o uso de aparelhos de ar condicionado está limitado ao horário de funcionamento da repartição", disse a Prefeitura.

Ainda de acordo com o município, houve uma renegociação em janeiro deste ano para o parcelamento da dívida acumulada em gestões anteriores.

A Prefeitura informou também que com a queda da arrecadação municipal, somente a entrada do pagamento foi feito e a concessionária não aceita mais renegociar. O município divulgou que não há uma data definida para o pagamento da dívida.