Brasil está aberto ao diálogo, diz embaixador sobre relação com os EUA

Segundo Trump, o comércio bilateral é injusto para os Estados Unidos

02/10/2018 - O governo brasileiro está sempre aberto ao diálogo e à busca de soluções para a redução de entraves aos fluxos comerciais com os Estados Unidos, afirmou hoje (2) o subsecretário-geral de Assuntos Econômicos e Financeiros do Itamaraty, embaixador Ronaldo Costa, por meio de nota.

“Empresas norte-americanas tiveram e continuam a ter participação destacada no processo de desenvolvimento nacional, dentro do contexto mais amplo do construtivo relacionamento econômico entre os dois países”, disse. “O comércio bilateral, que se pauta pelos compromissos assumidos por Brasil e Estados Unidos na OMC [Organização Mundial do Comércio], tem-se caracterizado, nos últimos anos, por sucessivos superávits norte-americanos”, acrescentou.

Ontem (1º), o presidente Donald Trump criticou as relações comerciais entre o Brasil e os Estados Unidos. Em entrevista coletiva sobre o novo acordo comercial entre o país, o Canadá e o México (o novo Nafta), firmado neste domingo (30), Trump afirmou que o comércio Brasil-EUA é injusto e que o Brasil trata "injustamente" companhias norte-americanas.

Ao tratar do tema tarifas, o presidente americano citou o Brasil como exemplo de negociação difícil e injusta: "O Brasil é outro caso. É uma beleza. Eles cobram de nós o que querem e, se você perguntar a algumas empresas, elas irão dizer que o Brasil está entre os mais duros do mundo, talvez o mais duro", disse. "E nós nunca chamamos o Brasil para dizer: 'olha, vocês estão tratando nossas empresas injustamente, tratando nosso país injustamente'".

Os Estados Unidos são o segundo maior mercado exportador do Brasil, perdendo somente para a China. Os principais itens exportados para os Estados Unidos são óleo bruto de petróleo, aviões e produtos manufaturados de ferro e de aço.

De acordo com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Servicos, no ano passado, o superávit do Brasil para com os Estados Unidos foi de US$ 2,06 bilhões. O país exportou para os Estados Unidos US$ 26,872 bilhões e importou de lá um total de US$ 24,846 bilhões.

No ano passado, a economia norte-americana recebeu 12,3% do total exportado pelo Brasil. No caso da China, o percentual foi de 21,8%.