Jornal Tamoios
Cabo Frio, Tamoios,

Governo recorreu ao “jeitinho brasileiro” para Weintraub entrar nos EUA em plena pandemia

20/06/2020 - O tweet de Arthur Weintraub informando que seu irmão, Abraham Weintraub, estava nos Estados Unidos foi a senha para que o governo publicasse a exoneração do ministro da Educação. O consulado em Miami sequer foi avisado de sua chegada aos Estados Unidos, algo incomum. Sempre que há um ministro de estado a caminho do país, os consulados do destino são avisados a fim e entrar em contato e perguntar se há necessidade de algum apoio. Neste caso, não houve qualquer informação.

A viagem foi confirmada ao blog pela assessoria do agora ex-ministro. Weintraub chegou aos Estados Unidos 7h da manhã, num voo da Azul, o único do dia a desembarcar na Flórida, no aeroporto de Fort Lauderdale. Portador do passaporte diplomático, visto especial de ministro de país estrangeiro, e o fato de não apresentar qualquer problema de saúde, dispensaram da necessidade de quarentena em outro país, antes de ingressar no território estadunidense. Ainda que esteja exonerado, nada impede que permaneça nos Estados Unidos com o passaporte comum e o visto de turista. Nada do que foi feito é considerado “ilegal”. Mas pode ser enquadrado no “jeitinho” brasileiro — ou seja, coordenar tudo para que ele pudesse sair do Brasil e chegar aos Estados Unidos sem ser incomodado por causa da pandemia.

Amigos do ex-ministro Weintraub informam que ele segue ainda, neste sábado (20/6), para Washington, onde pretende assumir um cargo no Banco Mundial. Para assumir o cargo no BIRD, Weintraub precisará de um visto diferente daquele que permitiu a sua entrada agora e daquele que cobrirá sua permanência nesse período em que nem é ministro, nem funcionário de um organismo internacional. O fato estar ligado a uma nova instituição, também exige a mudança do visto. Para isso, terá que sair dos Estados Unidos, recorrer a alguma embaixada dos Estados Unidos no mundo afora e providenciar o novo documento.

jornaltamoios@yahoo.com.br