Marta é eleita a melhor jogadora de futebol do mundo pela sexta vez e Modric como o melhor jogador

24/09/2018 - A brasileira Marta foi eleita a melhor jogadora de futebol do mundo pela sexta vez. O prêmio foi entregue hoje (24) na cerimônia The Best, promovida pela Federação Internacional de Futebol (Fifa). A atacante já havia sido premiada com a mesma honraria em 2006, 2007, 2008, 2009 e 2010. Com isso, passou a deter, isoladamente, o maior número de títulos de melhor atleta de futebol do mundo, entre homens e mulheres. Ela passou Lionel Messi e Cristiano Ronaldo, ambos com cinco troféus.

Na votação deste ano, Marta superou a norueguesa Ada Hegerberg e a alemã Dzenifer Marosán. Marta foi ao palco emocionada para receber o prêmio. “É um momento fantástico. E as pessoas falam para mim: você já esteve nessa posição tantas vezes e todas as vezes você se emociona. Realmente. Eu faço isso porque isso representa muito para mim. É um momento mágico. Obrigada”.

Marta agradeceu às companheiras do Orlando Pride (EUA), clube que defende desde o ano passado, e da seleção brasileira. Agradeceu também a Deus e a todos que a escolheram como a melhor do esporte entre as mulheres. Marta tem 32 anos e é o principal nome da seleção brasileira desde 2003, quando conquistou a medalha de ouro nos jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, além da Copa América.

Modric é eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa

Na mesma cerimônia The Best, promovida pela Fifa, hoje, o meio-campista croata Luka Modric foi escolhido o melhor jogador de futebol do mundo. A premiação ocorreu hoje (24) na cerimônia The Best, promovida pela Fifa. O croata interrompe uma série de dez anos na qual o prêmio se revezava entre as mãos do português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi. Na premiação, Modric teve que superar o português e o egípcio Mohamed Salah.

Modric recebeu o prêmio das mãos do presidente da Fifa, Gianni Infantino, e afirmou que os sonhos se realizam para aqueles que trabalham duro, com dedicação e fé. “É uma grande honra ganhar esse troféu incrível. Esse prêmio mostra que todos podem se tornar os melhores com trabalho duro, dedicação e fé. Todos os sonhos podem se tornar realidade”.

Modric também agradeceu aos companheiros do Real Madrid, clube que defende, e a todos os treinadores para quem já jogou. O meio-campista ainda prestou um tributo à seleção croata de 1998, que ficou em terceiro lugar na Copa do Mundo. Segundo ele, aquela seleção inspirou o time de 2018, que chegou à final da Copa. “Aquele time nos fez acreditar que poderíamos alcançar algo grande na Rússia”.

A escolha de Modric foi alavancada pelo título do Real Madrid na UEFA Champions League, a maior competição de clubes da Europa, na última temporada, mas, sobretudo, pela campanha da Croácia na Copa do Mundo. Mesmo com jogadores de alto nível, a Croácia não era tida como uma das favoritas para chegar à final. No entanto, superou seleções como Argentina, Inglaterra e a anfitriã Rússia, que também vinha fazendo um excelente mundial.

A Croácia perdeu a final para a França, mas o desempenho da seleção, e de Modric, foram devidamente reconhecidos. Na ocasião, o atleta recebeu o prêmio de melhor jogador da Copa.