Jornal Tamoios
Cabo Frio, Tamoios,

Caçadores e invasores ameaçam micos-leões-dourados em Cabo Frio

Fiscais têm encontrado animais mortos na área do Parque

26/06/2020 - Os agentes da Coordenadoria de Assuntos Fundiários e da Secretaria do Meio Ambiente de Cabo Frio estão enfrentando uma situação diferente no Parque Natural Municipal do Mico-Leão-Dourado. Acostumados a estar sempre presentes na Unidade de Conservação para mitigar o problema das invasões, eles estão se deparando, agora, com situações que colocam em risco direto e imediato os micos-leões-dourados que dão nome e razão à existência do Parque.

Caçadores e invasores estão capturando filhotes de mico e matando a população adulta, como comprovam registros fotográficos feitos pelos próprios fiscais. Apenas durante uma operação realizada nesta quinta-feira (25), dois animais mortos a tiros foram encontrados nas áreas próximas às invasões.

“Nossas equipes estão quase que diariamente no Parque para coibir as invasões, que são frequentes e reincidentes, mas e essa ação contra os micos, de matar os animais, é uma situação nova. Já vínhamos monitorando a captura de filhotes para a comercialização, mas apenas na ação desta quinta-feira, encontramos dois animais mortos próximos à área invadida”, afirmou o coordenador de assuntos Fundiários, Ricardo Sampaio.

“Sempre constatamos invasão, há também supressão da vegetação nativa com consequentes danos para a fauna local. Por isso agimos sempre de forma conjunta com os agentes fundiários. As pessoas acham, de forma errônea, que um desmatamento para a construção de uma moradia é um fator de menor importância, mas os índices de desmatamento não consideram os chamados “microdesmatamentos”, em que casas e rodovias desmatam pequenas porções do bioma. Somando-se essa situação à captura e à matança de micos-leões-dourados, estamos diante de uma situação nova e que traz grandes, reais e imediatos riscos à espécie”, afirmou o secretário de meio Ambiente, Mario Flavio Moreira.

O mico-leão-dourado

O mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia) chama a atenção pela cor vibrante de seus pelos, que varia de dourado a vermelho-dourado. Assim como outros micos e saguis da família Callitrichidae, o pequeno porte, a longa cauda e a agilidade fazem do mico-leão-dourado um dos mais simpáticos animais da nossa fauna.

Ele vive cerca de oito anos, tem hábitos diurnos e, à noite, dorme em ocos de árvores ou emaranhados de cipós e bromélias. Se alimenta de frutos, animais invertebrados e pequenos vertebrados. Alguns estudos mostram que o mico-leão-dourado come mais de 60 espécies de plantas e, depois de digeri-las, ajuda a dispersar suas sementes pelo ambiente.

O mico-leão-dourado pode ser reproduzir uma ou duas vezes por ano e os períodos de reprodução vão de setembro a novembro e de janeiro a março. Não há diferenciação de cor e tamanho entre machos e fêmeas e, quando nascem os filhotes, tanto o pai quanto a mãe ajudam na criação.

O Parque Natural Municipal

Criado em 1997, o parque é uma unidade de proteção integral dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) da Bacia do Rio São João, que tem por objetivo a defesa dos últimos remanescentes florestais do bioma Mata Atlântica. Além de promover pesquisas científicas, o local também é destinado à educação ambiental e ao turismo ecológico.

Apenas na atual administração é que foi criado o Conselho Gestor do Parque, que definiu prioridades e o planejamento de ações. Além da recuperação física da sede, o Parque vem recebendo um trabalho de cercamento em todo o seu perímetro, ações possibilitadas com recursos do Fundo Municipal de Meio Ambiente.

A população pode denunciar crimes ambientais pelo e-mail secmacabofrio@gmail.com e invasões de áreas públicas ou de proteção ambiental pelo e-mail cogeafcabofrio@gmail.com. O anonimato é garantido.

jornaltamoios@yahoo.com.br